CARREGANDO

Busca

Qual a tua decisão?

A misericórdia do Pai é o tema chave para a leitura de Lucas 15, 11-32, embora também esteja presente, com muita força, a atitude do filho jovem.  O filho dá o pai por morto, só assim teria direito a sua herança. Afasta-se do pai e vive distante da verdade, numa vida desprovida de sentido. Sua pretensa autossuficiência lhe conduz ao erro e ao pecado, e, encontrando-se em uma posição degradante e desesperadora reavalia sua condição e encontra forças na conversão para uma reaproximação, uma volta a casa do Pai, onde lhe bastaria viver mesmo que despojado de sua dignidade de filho. A acolhida do Pai não é parcial, é inteiramente doação de seu amor e generosidade. Recebe-lhe com o manto da dignidade de filho amado e com ele faz nova aliança. Aqui a misericórdia é hospedagem, a humanidade repousa no coração do Pai.

À atitude do pai surgem críticas pelo filho mais velho. Ele que não exerceu a mediação quando da partida de seu irmão, agora não compreende a gratuidade do pai. Discordando, enuncia os motivos de seu descontentamento, não chama o filho mais jovem de irmão, reclama da generosidade contraditória do pai. Vê e julga as coisas como quem também está distante, fala a partir da legalidade de atos, sem estar tocado pelo amor fraternal.

O pai, da mesma forma humilde, fala a partir do amor, dá as razões de sua ação e, principalmente, convida o seu primogênito a acolher o filho reencontrado novamente como seu irmão. Porém, a decisão de acolher o irmão significa uma mudança profunda. É preciso se desapegar da autoridade constituída a partir da fria observância da lei, é preciso questionar seus valores e prioridades, desenraizar suas convicções mais profundas, olhar o pai com a pequenez de um aprendiz, sair da posição privilegiada a qual se encontra e ouvir o clamor dos que sofrem.

A resposta diante do convite do pai não foi descrita na parábola. Com terá agido o filho mais velho? Neste ponto da parábola, Jesus desloca a atenção para outros atores: seus ouvintes. Qual é a tua decisão? Como vais agir diante dos que necessitam de teu acolhimento? Na comunidade, igreja, escola, trabalho, e em sua casa, como você acolhe aqueles, que ao teu ponto de vista, parecem ter errado?

Jesus oferece aos que se consideram justos perante Deus uma possibilidade de ver e agir a partir da experiência do Reino. O convite está feito, o Reino de Deus é hóspede. A decisão de acolher e se tornar hospedeiro do Reino é de cada ouvinte.

A decisão de acolher e se tornar hospedeiro do Reino é de cada ouvinte.

Giovanni Mattiello

Últimas colunas