CARREGANDO

Busca

Ulisses - Para pensar sobre o tempo

Aquele ano parecia interminável. No esgotamento diário, dada a quantidade e exigência do trabalho, difícil era cumprir tudo que a enorme lista da agenda apontava. O tempo me dominava! Passava pelas ruas, que até então me perdia envolta em construir narrativas, sem nada enxergar. Na mente apenas o foco nas minhas necessidades. Alheia a tudo que me cercava, abstraída até de alimentar algum outro desejo que não fosse os resultados que me predispunha alcançar. Todos os dias a mesma rotina, sem perceber que só tinha rotinas em mim.
Num dos dias de inverno, em que a neblina mergulhava tudo numa silhueta cinza, um choro débil, que teria sido engolido pelos ruídos da rua, se essa não estivesse deserta, me sensibilizou. A rua, uma das primeiras traçadas na cidade, ainda preservava quadras com casas, algumas com jardim outras construídas junto ao meio fio. E eis que entre uma casa de madeira, que revelava ter presenciado anos de histórias, acolheu aquele ser. Embora os olhos revelassem medo, neles ainda se podia ler entrega e a promessa de que seria só devotamento a quem o acolhece. Prudente, aproximei-me e timidamente o afaguei. Nunca até então havia sido susectível a manifestações desse tipo em relação aos animais. Não saberia dizer, extamente o quê ou porquê este encontro mudaria minha vida. No momento que o caozinho colocou sua pequena e trêmula pata sobre minha mão, eu tive certeza: ele não sairia mais do meu coração nem da minha vida. O retirei com dificuldade da fenda onde se abrigara. Estava gelado. Era um filhotinho, tinha aquele olhar que se reconhece em todo ser inocente.
Apressei-me para chegar em casa. Confusa, nem sabia como poderia alimentá-lo, procurei em minha memória situações similares a que estava vivendo. Não demorei a encontrar algo para alimentá-lo e o aqueci com o olhar, na esperança de arrancar-lhe o medo e a insegurança. Dormi naquela noite abraçada a ele.
Hoje Ulisses o cãozinho que regatei é meu companheiro, uma história com final feliz que desde então passou a ser, entre os meus desejos, o maior, o mais urgente: que outros tantos que se encontram em situações de maus tratos ou são abandonados tenham a chance de serem acolhidos e tenham uma família que lhe ofereça o que merecem: cuidados com a saúde e alimento saudável, carinho e... amor.

Rosana Marina

Últimas colunas