CARREGANDO

Busca

Dia do Vinho

Nos últimos dias temos visto diversas programações para a comemoração do Dia do Vinho. Isso mesmo. O vinho tem seu dia próprio no calendário, e aqui no Rio Grande, é lei, que o primeiro domingo de junho é o dia do vinho.

A Lei 12.019, de 12 de dezembro de 2003 trouxe uma certa grandeza para a bebida. Não que fosse necessário fazer uma lei para a apreciação do vinho, mas ela atribui um certo respeito para uma das grandes economias da nossa região.

O Dia do Vinho é motivo de comemoração para todos os que trabalham e dedicam a vida com isso, porque não é só o seu dia que obteve aquele respeito. O produto é alvo de valorização diária, de ponta a ponta, desde a tecnologia trazida para o cultivo da uva, até o seu consumo.

E o Direito não fica para trás. A valorização e o respeito pelo vinho são buscados e sentidos cada vez mais no Brasil, buscando, através de entidades importantes ligadas ao setor, a inclusão do produto como alimento; a busca de melhorias para o vinhateiro que faz o seu vinho como fazia o nono, através da

Lei do Vinho Colonial para os que produzem até 20 mil litros por ano; a inclusão das vinícolas no Simples Nacional. São pequenos passos importantes para trazer esperança para quem busca no vinho, o sustento e o futuro de sua família, ou que busca empreender em algo novo, agregando modernidade à tradição trazida pelos antepassados.

A valorização do vinho também passa pela valorização da terra, do meio ambiente e da própria produção. As Indicações Geográficas e as Denominações de

Origem, conferem e validam uma produção única, existente apenas em um determinado local, como é o caso do Vale dos Vinhedos, demonstrando como o vinho pode ser muito mais do que uma bebida.

A produção do vinho é muito mais do que o cuidado com as videiras: é a tradução do amor entre ser humano e natureza, é uma marca, é um legado de família, uma homenagem, um brinde eterno!

Feliz Dia do Vinho, para todos os que trabalham e se dedicam para, cada vez mais e melhor, cultivar a herança deixada pelos antepassados italianos. Afinal, “com o passar dos vinhos, os anos ficam melhores”.

.

Thiago H. Burmeister

Últimas colunas