CARREGANDO

Busca

Moeda Virtual

Caros amigos, cedo ou tarde iremos nos deparar com uma nova realidade no mercado, as chamadas “moedas virtuais” ou “criptomoedas” como queiram. Segundo algumas definições “uma criptomoeda é uma moeda virtual, que usa a criptografia e a tecnologia chamada de blockchain para garantir o funcionamento descentralizado de negociações pela internet”.

Em outras palavras, criptomoeda é uma espécie de moeda que só existe na internet e sem controle de um órgão oficial (não é emitida por um banco central de um país nem está atrelada à política econômica de um governo), sendo que atualmente é possível realizar desde a compras de alguns produtos ou mesmo utilizar a mesma para investimento.

Hoje a mais valiosa e mais conhecida delas é o Bitcoin que foi criada nos idos de 2009 e que chega a movimentar bilhões de dólares em um único dia. No entanto, estima-se que exista algo em torno de 1.400 moedas virtuais a disposição dos interessados. Cito alguns exemplos: Ethereum, Cardano, Litecoin, Stellar, NEM, Monero e por ai se vai.

Embora existam reações distintas das autoridades monetárias mundo a fora, visto que alguns Países se tornaram defensores globais da moeda virtual e outros já chegaram ao ponto de proibi-las, ao meu juízo a tendência é de aceitação, ou seja, as criptomoedas serão uma realidade Global em um pouco espaço de tempo.

Para quem acha que isso é um assunto ainda muito distante, lembro que a poucos dias o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) anunciou que irá usar uma moeda virtual (ainda sem nome e criada pela tecnologia de blockchain) em algumas de suas operações. Por sua vez, o Banco Central do Uruguai também anunciou no ano passado um plano para a criação de sua própria moeda virtual.

Diante deste cenário, a entrada das chamadas moedas virtuais no mercado parece ser um caminho sem volta. Nos cabe entender essa nova realidade e nos preparamos para a mesma ou resistir a ela sem qualquer chance de êxito. Concordam?

.

César Ongaratto

Últimas colunas